[Debate] "Fluxos - Acervos do Atlântico Sul"

Foto de ppgav

O ciclo de debates "Fluxos - Acervos do Atlântico Sul", iniciativa do Intervalo - Fórum de Arte, terá seu terceiro encontro no dia 2 de setembro, às 18h30, na Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia, com uma conversa aberta que reúne a pesquisadora e curadora Diane Lima, o pesquisador e professor Sidnei Barreto Ferreira de Sàngó e o curador Fabian Saavedra-Lara (Chile/Alemanha), residente do Programa de Residência Artística Vila Sul. A partir do tema "Decolonizando os acervos de arte africana e afrobrasileira: desafios, potenciais e limites", o debate foca nas práticas decoloniais que lidam com acervos e coleções de forma crítica, no intuito de contar outras histórias e afirmar outras perspectivas. 

A entrada é gratuita, com classificação livre.

 

 

 

FLUXOS - ACERVOS DO ATLÂNTICO SUL - Ciclo de Debates

Encontro 3 - Decolonizando os acervos de arte africana e afrobrasileira: desafios, potenciais e limites

02 de setembro de 2019 de 18h30 às 20h30

Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia


Convidamos para o terceiro encontro do ciclo de debates do projeto FLUXOS - ACERVOS DO ATLÂNTICO SUL, que acontecerá em 02 de setembro na Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia. Será uma conversa aberta na qual teremos a presença da pesquisadora e curadora Diane Lima, o pesquisador e professor Sidnei Barreto Nogueira e o curador Fabian Saavedra-Lara (Chile/Alemanha), residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut. A partir do  tema “Decolonizando os acervos de arte africana e afrobrasileira: desafios, potenciais e limites” visamos trazer para o centro do debate as práticas decoloniais que lidam com acervos e coleções de forma crítica no intuito de contar outras histórias e afirmar outras perspectivas. Quais práticas e perspectivas decoloniais são essas? Como eles transformam as relações de poder que perpassam os acervos, coleções e instituições? Quais os desafios, potenciais e limites encontrados por curadores, artistas e outros agentes do campo cultural diante da necessidade de criar outras narrativas que se contrapõem ao pensamento ocidental e as visões de mundo marcada pela colonialidade? 

Com os debates pretendemos discutir os fluxos e mobilidades produzidas entre os países do Atlântico Sul e, mais especificamente, analisar a formação e os discursos que perpassam os acervos e exibições do Museu Afro-brasileiro da Universidade Federal da Bahia e a Casa do Benin em Salvador. O primeiro reúne um acervo fruto de deslocamentos de Pierre Verger entre países africanos e o Brasil, e o segundo, um acervo construído também por Pierre Verger, incluindo o intuito de reatar relações diplomáticas e promover trocas horizontais e recíprocas entre o Benin e o Brasil.


Serviço

Intervalo - fórum de arte

Encontro 3 - Decolonizando os acervos de arte africana e afrobrasileira: desafios, potenciais e limites

Data: 02 de setembro de 2019 

Horário: 18h30 às 20h30

Local: Avenida Sete de Setembro, 1809

Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia

Entrada gratuita


Ficha técnica

Organização: Intervalo - fórum de arte

Coordenação: Ines Linke e Uriel Bezerra

Design gráfico: Dinha Ferrero

Equipe: Ludmila Britto, Lia Krucken, Rogério Félix, Tatiana Scher, Luma Flores

Agradecimentos: Luciana Moniz, Alejandra Muñoz e Tiago Sant'Ana

Assessoria de comunicação: Gil Maciel

Realização: PPGAV - UFBA, Goethe-Institut Salvador-Bahia, Museu Afrobrasileiro (UFBA), Casa do Benin, Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador